Blog da Pands

13/01/2007

IMPÉRIO DA PREGUIÇA



A preguiça impera. Travo com ela batalha diária e mesmo com minha initerrupta produção de tiras e cartuns, sinto-me sempre derrotado. Espírito macunaíma, Mario de Andrade matou em cheio. Passo dias com vontade de fazer absolutamente porra nenhuma. Não que não haja momentos em que não devemos nos render à preguiça (tenho atração especial por frases com três negativas), mas às vezes penso que esse desejo de rendição parece mesmo ser o mais forte. Luto contra esse desejo e a cada dia percebo que é uma luta dura, duríssima, diria cruel. Trata-se de uma luta cruel, não há dúvidas. A luta diária contra a preguiça. É óbvio que um tutu de feijão e uma cachacinha somente pioram as coisas. Estou passando o mês em Tiradentes(MG), que nada mais é senão o Império do Tutu de Feijão. Esses dois impérios, da preguiça e do tutu, fizeram um pacto dos mais abjetos para me destruir. Mas resisto! Bebo a cachaça, como o tutu, sinto a preguiça dominar todos os músculos, todos os nervos, todas as células do meu corpo, mas resisto! Sento nesse computador e meus olhos já estão quase fechando, mas resisto. Agora o padreco resolveu tocar Bach nos auto-falantes da igreja e chego à absoluta certeza de que realmente trata-se de um grande complô contra mim. A tarde vai caindo, as nuvens movem-se lentamente, o complô torna-se evidente, mas continuarei digitando. Eles vão ver só, não sabem com quem se meteram, continuarei digitando! E digo mais, amanhã mesmo comerei mais tutu e beberei mais cachaça e continuarei digitando. Vou passar o mês inteiro comendo tutu e bebendo cachaça e continuarei digitando!

CONEXÃO RIO - TIRADENTES



Antes de cair no Império do Tutu de Feijão, passsei pelo Império da Bunda, do Chopp e do Bolinho de Bacalhau: Rio de Janeiro. A cidade continua linda, as bundas desbundantes, o chopp geladíssimo e o bolinho de bacalhau imbatível. Gosto muito do carioca. Há de se dar crédito a um povo que vai até o carrinho da Kibom e pede um ‘PICOLHÉ’. O Rio de Janeiro é o Império do Picolhé. Passei um dos Reveillons mais divertidos, na companhia de amigos querido e alguns gringos figuras. Atravessei o calçadão com um deles e tudo que ouvi, da Prado Junior ao Arpoador foi “Oh my God”, “Oh my fucking God”, “Oh my God”, “Oh my fucking God”, era a mulherada passeando no calçadão. A tarde inteira “Oh my God”, “Oh my fucking God”. Rio é foda, milhões nas ruas numa boa na noite do dia 31. Então catei as malas e vim pro Império do Tutu e da Cachaça. Obviamente, não pra encontrar ninguém, mas pra buscar refúgio, me concentrar em coisa que em São Paulo não conseguia me concentrar e acima de tudo refletir. Reflexões fundamentais, sentado à noite de frente pra Serra de São José com a pança cheia de tutu, a cabeça cheia de cachaça, peidando como um filho da puta e rememorando atentamente as bundas do calçadão de Copacabana. Reflexões fundamentais, eu diria.


A Giganta do Chico Bacon, antes e depois da viagem pro Rio.

Escrito por cg às 22h17

 ]  [ Envie esta mensagem ]

11/01/2007

JULIO & GINA

Em maio sai coletânea do JULIO & GINA pela Devir. Aí vai uma palhinha (o último cartum que saiu nesta segunda na Folha).

Escrito por cg às 01h40

 ]  [ Envie esta mensagem ]

07/01/2007

BACK TO WORK

Escrito por cg às 19h11

 ]  [ Envie esta mensagem ]